sexta-feira ,19 janeiro 2018
Home / Noticias / Banco do Brasil não vai mais financiar imóveis do Programa Minha Casa, Minha Vida

Banco do Brasil não vai mais financiar imóveis do Programa Minha Casa, Minha Vida

No processo de reestruturação que está em andamento com o aval do Palácio do Planalto, o Banco do Brasil decidiu que não mais financiará imóveis por meio do programa Minha Casa, Minha Vida, devido ao elevado nível de inadimplência e ao retorno muito baixo. A meta do BB é deixar essas operações para a Caixa Econômica Federal, que tem estrutura melhor para lidar com o público de baixa renda.

No crédito imobiliário, o BB se concentrará em financiamentos para a classe média e para o público de alta renda, considerados menos arriscados. O BB, inclusive, extinguiu a diretoria de Crédito Imobiliario. Concentrou todas as operações na diretoria de Empréstimos e Financiamentos.

A entrada do BB no Minha Casa, Minha Vida foi uma determinação dos governos petistas. Fazia parte de um pacote chamado Bom para todos, que embutia crédito facilitado e que reduziu drasticamente a rentabilidade do banco, hoje de menos da metade da observada entre os gigantes privados.

O Banco do Brasil (BB) iniciou ontem o profundo processo de reestruturação que vem sendo planejado desde o início do governo de Michel Temer. Das 27 diretorias, duas foram extintas: a de Crédito Imobiliário (Dimob) e a de Relações com Funcionários e Entidades Patrocinadas (Diref), que ficará com a recém-criada diretoria de Governança de Entidades Ligadas. Perderam os cargos 10 diretores do banco e outros cinco mudaram de área. A área de Estratégia da Marca foi cindida para dar lugar às diretorias de Estratégia e Organização e de Marketing e Comunicação.

Além dessas mudanças, O BB deve anunciar nos próximos dias um plano de demissões voluntárias. Os números ainda não estão definidos. Comenta-se nos corredores da instituição que a meta é reduzir em até 18 mil o atual quadro de 115 mil colaboradores. A ideia do governo é tornar a instituição mais leve, o que poderá também reduzir o escopo de negócios.

 

O BB é hoje o segundo no mercado de crédito imobiliário, com 8,63% do mercado, perdendo apenas para a Caixa Econômica Federal, isolada em primeiro lugar, com fatia de 51,72%. Mesmo com a diferença grande, o BB tem uma carteira respeitável, de R$ 53 bilhões em empréstimos. Isso tende a diminuir muito nos próximos anos, com a mudança de foco da instituição.

A diretoria de Entidades Ligadas, que será comandada por Cícero Przendsiuk, ficará subordinada à vice-presidência de Finanças e passará a acumular as funções da extinta Unidade de Gestão de Entidades Ligadas. A área será responsável pelo relacionamento com a Previ, fundo de pensão dos empregados da estatal, com a Cassi, plano de saúde dos empregados do banco, e com a Economus, fundo de pensão dos funcionários da Nossa Caixa, comprado pelo BB.

Todas as alterações foram aprovadas pelo Conselho de Administração do BB. O colegiado, presidido pelo secretário-executivo da Fazenda, Eduardo Refinetti Guardia, também deve promover trocas nas vice-presidências. O processo tem sido conduzido pelo presidente do banco, Paulo Rogério Caffarelli, com respaldo do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

 

tópico : Banco do Brasil

Fonte: Correio Braziliense 

Você pode Gostar de:

INGRESSOS X SPORT

River inicia venda de ingressos para partida contra o Sport, na Copa do Nordeste

O torcedor do River já pode adquirir seu ingresso para assistir o jogo do Galo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *