Rádio Verona - 106,9 FM
Anúncio
Saúde

FMS alerta para problemas de saúde causados pela baixa umidade do ar em Teresina

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) alerta para os perigos ao sistema respiratório, em especial neste momento de pandemia da Covid-19.

11/08/2020 09h57Atualizado há 1 mês
Por: Noé Santos
Fonte: PMT/PI
122
Na foto Maricíldes Silva
Na foto Maricíldes Silva

O mês de agosto trouxe consigo os primeiros sinais da estação do ano mais quente em Teresina. Diante das taxas de umidade do ar que estão cada vez mais baixas, sempre inferior aos 40%, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) alerta para os perigos ao sistema respiratório, em especial neste momento de pandemia da Covid-19. A otorrinolaringologista Alexandra Kolontai, do Centro Integrado de Saúde Lineu Araújo, explica que o ar seco provoca um ressecamento das vias aéreas, o que leva aos sintomas mais comuns como a tosse seca, ressecamento da garganta e sangramento nasal. “Este clima aumenta ainda a ocorrência de infecções respiratórias, como as gripes, resfriados e pneumonias. Observamos ainda que ele pode agravar doenças crônicas, como asma, bronquite e rinites”, alerta a médica. Essas doenças costumam ter sintomas parecidos com a Covid-19, como tosse, espirros, coriza, dor de garganta. A médica lista alguns sinais que podem ajudar na identificação das doenças. “Vale lembrar que na rinite não ocorre febre e poucas vezes há indisposição; no resfriado quando a febre surge costuma ser baixa e não chega a 38ºC. Na Covid-19 a febre está presente em cerca de 80% dos casos acompanhada de dor no corpo e mal estar”. A otorrinolaringologista ressalta que para ter certeza do diagnóstico, é necessário que seja feita uma avaliação médica. Ela dá ainda algumas orientações para amenizar os efeitos deste período. A principal delas seria o aumento da ingestão de água ao longo do dia – entre dois e três litros diários. Colocar aparelhos umidificadores de ar em casa, na sala ou no quarto, também é uma opção. “Outras dicas são limpar sempre os olhos e o nariz com soro fisiológico para lubrificar, e evitar atividade física nos períodos mais quentes”, aconselha Alexandra Kolontai. De acordo com os parâmetros da Organização Mundial de Saúde, a umidade relativa do ar ideal para saúde está entre 50% e 80%. Porém, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), Teresina está perigo potencial, com previsão de mínimas abaixo de 30% de umidade para esta semana.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários