Rádio Verona - 106,9 FM
Feijoada da Rádio Verona!
Saùde

Natan Portella Completa 48 anos de funcionamento

Com a finalização das obras de ampliação que a unidade está recebendo, serão 103 leitos, dos quais 30 leitos serão direcionados a terapia intensiva

03/08/2021 10h29
Por: Noé Santos
Fonte: Sesapi
88
Foto: SESAPI
Foto: SESAPI

O Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella vem sendo o Hospital de referência dentro do estado do Piauí durante a pandemia de Covid-19 e nesta semana a instituição completa 48 anos de funcionamento, levando uma assistência médica de qualidade para toda a apopulkação que necessitou dos seus serviços. No entanto o trabalho de qualidade desempenhado pelo hospital e sua equipe de profissionais já vem demonstrando sua capacidade resolutiva desde sua fundação em 1974.

Foto: SESAPI
Foto: SESAPI

 

Com toda sua estrutura sendo concluída no ano de 1973, mas com algumas dificuldades de gerenciamento, a unidade começou de fato a atuar pela saúde dos piauienses no ano seguinte, quando uma grande epidemia de meningite dentro do estado trouxe a necessidade de um espaço especializado para atendimento da população acometida pela doença.A partir desse momento a unidade começa a funcionar como Hospital de Doenças Infecto Contagiosas (HDIC).

Em Fevereiro de 2000 a Lei Estadual N°5.122 alterou a denominação da unidade, que passou a ser denominado Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella (IDTNP). O médico infectologista José Noronha, atual diretor da unidade, destaca que a unidade teve papel fundamental em diversos momentos da saúde piauiense.


“Desde sua fundação, cada vez mais a unidade se destacava no atendimento a população em momentos de crise. HIV, H1N1 e mais recentemente a Covid-19 são alguns dos momentos que o instituto vem demonstrando toda sua essencialidade para a saúde do Piauí. É preciso destacar ainda que sempre tivemos um suporte para a população mais frágil, mostrando qualidade de atendimento acolhedor para pessoas com doenças estigmatizantes”, apontou o diretor.


A diretora técnica da unidade, a médica infectologista Elna Amaral destaca que por ter um perfil de lidar com doenças infecciosas e de contagio bastante elevado, a unidade sempre teve um grande cuidado tanto no gerenciamento dos pacientes assim como no acolhimento.“Além de todo um preparo estrutural para garantir uma estadia de qualidade para os pacientes, o hospital também sempre teve um olhar para a assistência psicológica, efetuando esse serviço com qualidade tanto para os pacientes como também para a equipe de profissionais da unidade, garantindo um acompanhamento sobre todas as situações que acontecem na unidade”, destaca a diretora.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.